O que são jogos AAA?


0
AAA

Você já deve ter ouvido falar em jogos triple A, ou AAA. Mas sabe o que este termo significa no mundo do jogos? É disso que vamos falar hoje.

Origem do termo

Primeiramente é bom deixar claro que o termo AAA não é oficial e precisamos voltar no tempo para entender a origem do termo. Em 1982 era lançado o jogo E.T the Extra-Terrestrial. Nome que até então prometia muito, porque todo o dinheiro da Atari foi alocado nesse projeto (além de todo o marketing que o filme dirigido por Steven Spielberg gerou).

aaa

Porém o jogo foi um dos maiores desastres da indústria dos vídeo games em toda a história. Não sobrou alternativa para a Atari se não enterrar o jogo e esquecer esse fracasso de vez. Por curiosidade, a palavra “enterrar” utilizada neste parágrafo, está no sentido literal. Várias cópias do jogo foram soterradas no deserto do estado do Novo México, nos Estados Unidos.

Após o lançamento de E.T a confiança do público na indústria caiu significativamente. Para recuperar a fé dos consumidores na época, a Nintendo resolveu entrar em ação criando o “Original Nintendo Seal of Quality“, que garantia que os jogos da desenvolvedora seriam de alta qualidade. Enfim surgiu o nosso termo, AAA ou triple A. Ele foi usado para classificar os jogos que possuíam alta qualidade, em diferentes aspectos.

A sigla AAA foi baseada nas notas das escolas dos Estados Unidos, onde “A” é a maior nota (equivalente ao 10). Contudo, nos jogos ela não é considerada um selo de qualidade, o termo AAA começou a ser mais usado em games que nem mesmo foram lançados e virou mais uma frase utilizada pelas produtoras conquistarem a atenção dos jogadores.

O que é um jogo AAA?

GTA, Assassins Creed, Halo, Uncharted, Forza, God of War, The Witcher 3… todos esses jogos, essas franquias, são triple A. Mas afinal de contas, o que eles têm em comum? O que classifica um game como AAA?

Para explicar melhor essa “classificação”, podemos adotar os filmes como analogia. Lembra-se do filme E.T, dirigido pelo Spielberg? Este filme como outros grandes sucessos do cinema, deve ter tido um grande orçamento, uma equipe de produção enorme, atores de renome e partido de um estúdio conhecido na indústria. Como se não bastasse, estes filmes grandiosos movimentam muito dinheiro.

Os jogos Triple-A são para o mundo dos games o que os sucessos de bilheteria são para a indústria cinematográfica. Assim como as grandes produções audiovisuais, esses jogos geralmente envolvem equipes enormes trabalhando por anos para fazer um produto acabado, e geralmente, vêm de grandes estúdios. Além disso, há sempre grandes campanhas de marketing para divulgar o game próximo de seu lançamento e depois, também.

Desenvolver um game desse patamar não é fácil e tampouco barato. O estúdio precisará contratar diferentes equipes de especialistas para desenvolver partes vitais do jogo. Normalmente, uma equipe será designada para o conteúdo e o enredo, a equipe de programação escreverá o código de todos os recursos necessários do jogo, como física, renderização e muitos mais.

Outra equipe cuidará da qualidade gráfica (incluindo atores e atrizes) e um time irá otimizá-lo para as plataformas em que será lançado. Os recursos de áudio também são importantes, além dos responsáveis pelo controle de qualidade, que testarão o jogo em busca de bugs e relatarão aos desenvolvedores para que sejam corrigidos. Em resumo, são necessárias entre 50 a 200 funcionários para desenvolver um AAA.

dominickgravel 0790 resized
Sala Ubisoft Montreal | 📸 Ubisoft

Muitos funcionários assim deixam a folha salarial alta, no fim das contas. Estima-se que um triple A custe cerca $60 milhões para ser desenvolvido. Por exemplo, Call of Duty: Modern Warfare custou cerca de 200 milhões de dólares, incluindo a parte de produção, marketing e lançamento do game. God Of War II gastou 44 milhões de dólares só com desenvolvedores e Battlefield 3, chegou a gastar mais 2,7 milhões de dólares apenas em anúncios no Facebook.

Além de todo esse dinheiro e número gigante de pessoas envolvidas, um triple A demanda de tempo, uma média de 2 a 3 anos, mas há jogos que ultrapassam fácil essa média. O último God of War, por exemplo, precisou de 4 anos para ser concluído. Precisou-se de 5 anos para que a Rockstar desenvolvesse o GTA V. Cyberpunk 2077 demorou 7 anos para ser lançado.

Contudo, nem tudo são flores no desenvolvimento de um AAA, existem inúmeras desvantagens e dificuldades.

As desvantagens de desenvolver jogos triple A

O trabalho como um todo é uma questão de aposta, onde a produtora apostará tempo, dedicação, trabalho duro e principalmente uma grande quantidade de dinheiro para desenvolver um título AAA, ainda assim não é NADA GARANTIDO que os jogadores irão gostar.

Além de toda a questão de esforço e investimento, os jogos triple A meio difíceis de otimizar, ainda mais no PC. Por isso que normalmente as versões para PC chegam um pouco mais tarde, porque otimizar é outro trabalho muito delicado de se fazer. Mesmo num mundo perfeito em que este lançamento custasse 1 real, se os jogadores não conseguirem abrir o jogo porque o PC não consegue processar a qualidade gráfica, boa parte do público não jogará.

Justamente por isso, é bom garantir que o jogo rodará em um PC mediano e ainda assim manterá a qualidade e entretenimento intenso para ser classificado como um AAA, já que os jogadores são tão exigentes com isso. Outra desvantagem contra a qual a desenvolvedora precisa lidar é a pirataria.

Vivendo nessa vastidão da internet hoje, é quase impossível parar todos os sites e pessoas que distribuem cópias piratas, tornando essa batalha ainda mais difícil. Claro que esse problema é um problema geral da indústria de jogos, mas os AAA sofrem ainda mais com isso, pois precisam lucrar bem mais para cobrir os custos de produção.

Os jogos triple A garantem qualidade?

Apesar das produtoras gastarem muito dinheiro, esforço e tempo para criar AAA’s na tentativa de torná-lo um sucesso, ainda assim, esse esforço pode não significar isso. Existem alguns triple A que simplesmente não deram certo. Seja por divulgação mal feita, até atraso no desenvolvimento, ou até aspectos do próprio game, como falha na jogabilidade geral e no enredo do jogo.

Parte desse problema, que enfrentamos mais que nunca nesta geração, é porque os desenvolvedores se concentram muito na qualidade dos gráficos e esquecem ou negligenciam a mecânica de jogo e o enredo, fazendo o jogo falhar em termos de qualidade geral.

Muitos são tão superestimados que acabam decepcionando por um motivo ou outro, mesmo tendo o potencial de serrem incríveis, eles simplesmente acabam flopando. Seja por ser um lançamento incompleto que exija DLCs para torná-lo “completo” ou microtransações que tornem o jogo pay-to-win. Além do mais comum, bugs e falhas que incomodam tanto a ponto de largarmos o jogo.

Na verdade são muitos os AAA que fracassaram de vez e foram um fiasco: Duke Nukem Forever, Tomb Raider: The Angel of Darkness, Street Fighter V, Fallout 72, o mais recente Cyberpunk 2077 e tantos outros por aí. Claro, sabemos que há pessoas que gostam desses jogos, mencionamos apenas pelo número alto de críticas ou fracasso nas vendas.


Gostou? Compartilhe com um amigo

0
Ramon Felix

Entusiasta a games e qualquer coisa relacionado ao mundo da tecnologia.